Jornal Gazeta Parintins

Menu

Projeto Huca garante segurança alimentar para famílias por meio de quintais urbanos

Huca assegura alimentos saudáveis e renda para muitas famílias em Parintins

postado em 09/06/2018
Projeto Huca garante segurança alimentar para famílias por meio de quintais urbanos

 

Da Redação

Denilson Noronha

 

O Projeto Horta Urbana Comunitária da Amazônia (Huca), pertencente à Associação Cidadania Social e Sustentabilidade (Acssus), foi o único aprovado em Parintins no último edital de patrocínio do Banco da Amazônia, (Basa) no fim do ano passado. O projeto promove a segurança alimentar, por meio da prática de produção de alimentos saudáveis em quintais urbanos e na abordagem do tema no cotidiano de grupos comunitários.

 

 

De acordo com  a professora Isabel Porto, presidente da Acssus, nesta primeira fase o projeto beneficia quinze famílias em situação de vulnerabilidade social, com distribuição de mudas, palestras, cursos de capacitação e acompanhamento técnico. “No mês de abril foi feita toda a triagem, alguns balcões já estavam levantados e estamos em andamento com o processo de compostagem e acompanhamento dos técnicos do projeto e oficinas agroecológicas. Nas oficinas é ensinado o processo de compostagem e é verificado o que precisa melhorar para que não seja aplicado produtos agrotóxicos nas hortaliças. Esse processo está dando certo e estamos cumprindo com a primeira parte do projeto que o plantio e replantio das hortaliças”, esclarece a presidente.

 

 

Benefícios

 

 

Projeto Urca (4)

 

 

Um dos beneficiados do projeto é senhor Jorge Francisco Sales, (68) que planta hortaliças e legumes no quintal da casa onde mora. O autônomo recebeu a visita dos técnicos do Huca, entre eles o professor do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), campus Parintins, Ivamilton Araujo, que é engenheiro da área. “O objetivo maior desse projeto é incentivar a multiplicação do que eles já dispõem. Nessa etapa do diagnostico, vemos a renda per capta de cada produtor e a faixa etária ultrapassa os 40 anos, são pessoas que geralmente saíram do interior para acompanhar os filhos na cidade e quem dispõe de um terreno maior vê que é possível. Queremos mesmo influenciar não só na melhoria do alimento em casa, mas saudável, orgânico, mas também gerar renda dentro dessas famílias”, argumentou o professor.

 

 

Seu Jorge Francisco começou com a plantação de cebolinhas e agora com os acompanhamentos técnicos consegue vê uma possibilidade de sustentar a família com a colheita de hortaliças de qualidade e também com as vendas que já consegue fazer. “Comecei plantar uma horta e a gente tem pra comer e de vez em quando ganha um real, muitas pessoas se queixam que não têm emprego, mas temos que fazer alguma coisa, creio que é possível melhorar as coisas assim”, acredita o horticultor.

Radio Online

Video

Cobertura de Eventos

Publicidade